sábado, 22 de julho de 2017

Crítica do Álbum "Lust For Life" - Lana Del Rey



Após liberar alguns hits, como : Love, Lust for life(feat.The Weeknd) , Coachella, Summer Bummer (feat. A$AP Rocky e Playboi Carti) e Groupie Love (feat. A$AP Rocky), Lana Del Rey, como é conhecida artisticamente, liberou nessa sexta-feira (21 de Julho) o seu quarto álbum.

O novo álbum se difere bastante dos outros por conta do grande número de participações. Nos outros álbuns só escutávamos a voz de Lana e já em “Lust For Life” tivemos colaboração de como Sean Lennon (em “Tomorrow never came”) e os rappers A$AP Rocky e Playboi Carti (em “Summer bummer” e “Groupie love”). Além disso, houve a participação de The Weeknd em “Lust For Life”. Del Rey já participou dos dois últimos álbuns de The Weeknd sendo “Starboy” (2016) e “Beauty Behind the Madness” (2015).


Lana utiliza um lado mais político em seu novo trabalho, demonstrando um lado que não tínhamos visto ainda. Em "God Bless America and all the Beautiful Women in It", ela mostra-se preocupada e esperançosa com seu país. Alguns críticos acreditam que seja uma referência sobre os Estados Unidos. Em uma entrevista por telefone ao GLOBO:

"— Já cantei tanto sobre meus sentimentos, que agora também quero falar sobre outros assuntos — explica, destacando que “Lust for life” é seu trabalho de estúdio com mais referências ao cenário político." PARA LER EM: O GLOBO CLIQUE AQUI




Lust For Life traz novos elementos sonoros, assim como Ultraviolence abusava das distorções e Honeymoon das cordas, o novo álbum utiliza e prioriza instrumentos como o piano,guitarra e as batidas mais agressivas que acabam se tornando mais suaves diante dos toques lentos e calmos que os acompanham.


Alguns críticos, acreditam que Lana quis utilizar desse álbum, um álbum experimental, pois utilizou novas ferramentas que não deixou a desejar e que ainda por cima podem acrescentar muito em sua carreira.

5/5